O Conceito

E foi assim que tudo começou…

Estava um dia frio e de muita chuva que só convidava a estar em casa, e em que as mulheres da família decidiram reunir-se para fazer uma intervenção “Arranjar uma ocupação para a Anita, levantar-lhe a moral e dar-lhe razões para se levantar todos os dias da cama”, como se um filho, um cão, uma gata e umas dezenas de peixes já não fossem razões suficientes. A meio de tantas e tantas ideias fomos fazer um lanche e alguém lembrou-se de que seria bom fazer umas bolachas. Começamos à procura de receitas na internet mas havia sempre algum ingrediente que não tínhamos em casa e a vontade de sair para o comprar com um dia feio como estava não era muita. Meio em tom de brincadeira alguém disse “Bom, bom era ter já os ingredientes para fazer umas bolachas dentro de um lata e juntar apenas os ovos”. E foi assim que surgiu a ideia que foi sendo trabalhada aos poucos.

Depois veio a escolha do nome para o projecto. Muitas foram as sugestões mas havia sempre alguém que não estava de acordo. Às tantas sugeriu-se Aqui Há Gato. E porque a expressão propriamente dita bem como o facto de que o que propomos ser algo de mágico, que cria a dúvida, que levanta a questão do será mesmo possível que um simples frasco, contendo alguns ingredientes, se possa transformar numa maravilhosa e apetitosa guloseima veio solidificar ainda mais a nossa escolha de nome. Já havia um site com o domínio aquihagato.com registado e depois pensámos “E porque não Aqui Há Gata?”. Até fazia mais sentido porque por detrás do projecto está um grupo de mulheres, de 3 gerações distintas (avó, mãe e filhas). E foi assim que surgiu a ideia e o nome da Aqui Há Gata.

A curiosidade mata, pois é, mas no nosso caso vale a pena pôr à prova. Veja mais informações sobre este projecto nas nossas redes sociais.

_DSC6152
null

O meu nome é Ana Pinheiro, nasci em Angola e vim para Portugal bem pequenina. De lá guardo a lembrança de praias paradisíacas, com água quente, que nos faziam ficar horas esquecidos dentro dela. Sou Educadora Social de formação e posso dizer que de coração também. Durante todo o meu percurso académico aprendi o ditado chinês “Dê um peixe a um homem faminto e você o alimentará por um dia. Ensine-o a pescar, e você o estará alimentando pelo resto da vida”, que me serviu de mote para a vida profissional mas também pessoal.

Ana Faria

A extrovertida

A EQUIPA

null

E eu sou a Andreia Varela e sendo gêmea da Ana também nasci em Angola. Da nossa terra Natal guardo as lembranças de praias bonitas de água quente e de uma casa com jardim no qual passávamos os dias a brincar, ou a destruir se virmos do ponto de vista do nosso avô. Sou licenciada em Sociologia mas não cheguei a ter a oportunidade de trabalhar na área. Há nove anos que trabalho numa empresa na área de desenvolvimento web o que tem sido útil também para o nosso negócio familiar.

Andreia Varela

The workaholic
null

Sou a Zita Silva, Madeirense de naturalidade e algarvia por gosto.

Zita Silva

A super-mãe